22 de jul de 2011

A chave da mudança

despertador__mao
Este sermão pregado pelo Rev. Wadislau Martins Gomes, foi marcante. Há muito tempo não tenho o privilégio de ouvir um sermão tão bem pregado, e uma apresentação do Evangelho tão positiva e tão entusiasmante.

Tenho certeza que vocês serão muito abençõado assim como todos que tiveram o privilégio de ouví-lo à partir do púlpito da IPP – Igreja Presbiteriana Paulistana.

____________________________


A chave da mudança from IPP on Vimeo.
_____________________________

Esboço:
Tito 2.11-15
Vivemos mudando de lugar, estratégia, sentimentos… mas temos dificuldade em mudar nosso caráter. Sentimo-nos fracos para lidar com o coração e, às vezes, nutrimos um sentimento de desprezo. Qual é a chave da mudança?
A “prova dos nove” do texto fornece a chave: Tt 2.15→11.
15 Dize estas coisas; exorta e repreende também com toda a autoridade. Ninguém te despreze.
  1. A chave do passado (v. 14): 14 o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniqüidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.
    • Costumamos viver no passado, na história do nosso próprio coração, quer saudosistas quer amargurados.
    • Deus quer que vivamos baseados na obra de Cristo de maneira, purificados, produzamos boas obras (Jo. 15).
  2. A chave do futuro (v. 13): 13 aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus
    • Costumamos viver uma expectativa romântica do futuro, quer uma expectação do bem quer uma expectação do mal.
    • Deus quer que aguardemos a bendita esperança, amando e temendo a manifestação de Cristo (Jo. 14).
  3. A chave do presente (v. 12): 12 educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente.
    • Costumamos viver o presente em isolação do inicio e do final da história, quer em autonomia quer em inércia.
    • Deus quer que, no presente, eduquemos o coração para deixar desejos naturais e aprender virtudes divinas (Jo 16).
Conclusão: 11 Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens. (Jo 17).
Nesse sentido, graça é o movimento de Deus na direção o homem a fim de infundir-lhe sua própria natureza.
_______________________________________
Wadislau M Gomes



Rev. Wadislau Martins Gomes - Pregação feita em 17/07/2011 - IPP - Igreja Presbiteriana Paulistana

2 comentários:

Música, Ciência e Teologia disse...

Percebo que as mudanças da minha vida sempre tiveram dois motores: o humano e o divino.

Quando não queria mudar, estive cético para as mudanças, acomodado na minha situação, parecia que Deus estava do mesmo jeito, mas era eu que não O buscava. Ou que Ele ainda não tinha me despertado a ponto de procurá-lo.

Aqui é que existe uma mix da relação Deus-homem. Quando me levantava para mudar minha vida, o suprimento da graça de Deus estava pronto. Não que não estivesse antes. A graça de Deus sempre esteve lá... eu é que não queria buscá-la.

Não sou apenas a causa das minha mudanças, mas sou a consequência delas também. Meu relacionamento com Deus não é apenas a causa das minhas mudanças, mas minha consequência também.

Abraço, Marcos.

Pastor Menga disse...

Muito bom comentário. Ótimo.

Quando é que vamos nos ver? Quando é que terei a visita de vocês na IPP?

Bjos,
Menga