23 de jun de 2010

Ó, Amor que não me Deixarás

Ó, Amor que não me deixarás,
Descanso minh’alma exausta em Ti;
Reentrego-Te a vida que Te devo,
Para que nas profundezas de Teu oceano, sua corrente
Possa ser mais rica, mais completa.


Ó, Alegria que me procuras em meio à dor,
Não posso fechar meu coração a Ti;
Reconheço o arco-íris em meio à tormenta,
E sinto que não é vã a promessa
De que pela manhã não haverá lágrimas.

Ó, Cruz que ergues minha fronte,
Não ouso pensar em me afastar de Ti;
Deixo morta na poeira a glória da vida,
E deste solo floresce, vermelha,
A vida que há de ser sem-fim.

Ó, Amor que não me deixarás.
Letra: George Matheson, 1882
Música: St. Margaret, Consecration, Wyke
Tradução: Ederson Peka


Um comentário:

falconapa disse...

muito bom mesmo q Deus continue abençoa-los