22 de jun de 2010

GRAÇA NUM LUGAR ÁRIDO (2 Samuel 9:1)

Jesus e a pecadora

A palavra graça significa muitas coisas para muitas pessoas. Isto está certamente resumido no título inteligente do livro de Lofton Hudson: A Graça não É uma Loira de Olhos Azuis.

Referimo-nos a uma bailarina como sendo graciosa! Damos graças às refeições! Graça pode significar coordenação de movimentos e pode referir-se à dignidade e elegância. Mais importante que tudo, graça pode significar favor imerecido estender favor especial a alguém que não o merece, que não o adquiriu, que nunca poderá paga-lo.

De vez em quando chegamos a uma passagem das Escrituras onde temos uma ilustração belíssima desse tipo de graça e ficamos admirados com esse dom tão surpreendente. Encontramos um desses momentos na vida de Davi. Esse é, seguramente, o maior exemplo de graça em todo o Antigo Testamento. O episódio envolve um homem obscuro, com um nome quase impronunciável: Mefibosete.

Esta é uma história linda e inesquecível.

GRAÇA: UM EXEMPLO

No capítulo 7 de 2 Samuel, encontramos Davi passando por um momento de paz e tranqüilidade, após tantas batalhas, confrontos e problemas. Ali, ele se achava em total descanso após tantas situações de stress. Neste período, Davi estaria encontrando tempo para refletir sobre seu passado e todas as bênçãos que recebera. Provavelmente, Davi estivesse se lembrando de seu melhor amigo, Jônatas e de Saul, seu predecessor.

Enquanto meditava sobre estes dois homens e o impacto que havia causado em sua vida, Davi começou a lembrar de uma promessa que fizera. Refletiu e em seguida agiu.

“Disse Davi: Resta ainda, porventura, alguém da casa de Saul, para que use eu de bondade para com ele, por amor de Jônatas?” - 2 Samuel 9:1

Esta, na verdade, é uma tradução muito infeliz, porque “bondade” insinua freqüentemente uma idéia de ternura, mas o que Davi estava expressando era muito mais profundo. Segundo o original hebraico, a palavra seria: “graça” – “para que use eu de graça’ para com ele, por amor de Jônatas ”.

  • Graça é uma aceitação positiva e incondicional apesar da outra pessoa. Graça é uma demonstração de amor imerecido, não-adquirido e que não pode ser pago.
  • Davi reflete então: Há alguém em toda esta região a quem eu possa mostrar esse tipo de aceitação positiva, demonstrar essa espécie de amor ?

Porque ele queria fazer isso? Apenas para lembrar, Davi fez uma promessa. De fato, fizera duas promessas.

Em 1 Samuel 20: 13,14 quando Davi fugia de Saul para salvar sua vida, mas já estava evidentemente destinado ao trono, Jônatas diz:

“O Senhor faça assim com Jônatas, e outro tanto, se, querendo meu pai fazer-te mal, eu não te fizer saber, e não te deixar partir, para ires em paz. O Senhor seja contigo, assim como foi com meu pai. Se eu ainda então viver, não usarás comigo da bondade do Senhor, para que não morra ?”

Era costume nas dinastias orientais, quando um novo rei subia ao trono, que todos os membros da dinastia anterior fossem exterminados, a fim de eliminar a possibilidade de uma revolta. Jônatas está então dizendo aqui: – Davi, quando você subir ao trono, como certamente acontecerá, vai mostrar graça a minha família? Ao contrário do costume comum dos outros reis, preservará nossas vidas? Cuidará de nós e nos protegerá, para que não sejamos esquecidos?

Davi concordou sem hesitação. Seu amor por Jônatas o levou a fazer um acordo firme com o amigo.

“Assim fez Jônatas aliança com a casa de Davi, dizendo: O Senhor se vingue dos inimigos de Davi. E Jônatas fez Davi jurar de novo, porque o amava com todo amor de sua alma.” - 1 Samuel 20:16,17

Mais tarde, como talvez você se recorde, depois de Davi ter poupado a vida de Saul na caverna, este lhe disse:

“Eu sei que certamente hás de reinar, e que o reino de Israel há de ser firme nas tuas mãos. Agora jura-me pelo Senhor que não desarraigarás a minha descendência depois de mim, nem desfarás o meu nome da casa de meu pai. Assim jurou Davi a Saul...” - 1 Samuel 24: 20-22

Davi fez então uma promessa tanto a Jônatas quanto a Saul. Tempos depois (registrados em 2 Samuel 9) nós o encontramos pensando sobre essa promessa. Ele começa perguntando às pessoas de sua corte: “Resta ainda, porventura, alguém da casa de Saul, para que eu use de bondade para com ele, por amor de Jônatas ?”

Penso que vale a pena notar as palavras: “Resta ainda alguém ?” Ele não pergunta: “há alguém qualificado?” ou “Há alguém digno?” Mas, sim: “Há alguém? Não importa quem seja, há ALGUÉM ainda vivo que deva receber a minha graça?” Isso é aceitação irrestrita, baseada no amor incondicional.

E alguém foi identificado.

“Havia um servo na casa de Saul cujo nome era Ziba. Chamaram-no que viesse a Davi. Disse-lhe o rei: És tu Ziba? Respondeu ele: Teu servo. Perguntou o rei: Não há ainda algum da casa de Saul a quem eu possa mostrar a bondade de Deus? Ziba respondeu ao rei: Ainda há um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés” - 2 Samuel 9: 2,3.

Ao ler nas entrelinhas aqui, você sentirá que existe uma insinuação no conselho dado por Ziba a Davi. Penso que ele implicava: – Davi, é melhor pensar duas vezes antes de agir, porque esse sujeito não vai causar boa impressão em sua corte. Ele não se ajusta ao ambiente, a esta sala do trono, nesta casa nova e bela, na cidade de Jerusalém. Na verdade, ele não é uma pessoa agradável de se ver. Olhe Davi, ele tem uma grave deficiência.

Davi pergunta: – Resta alguém? – e este conselheiro responde: – Sim, mas é aleijado.

A resposta de Davi é comovente. Ele prossegue e diz: – Onde ele está? – Não pergunta: – O problema é sério? – Nem sequer indaga como ele ficou nessa condição. Apenas inquiriu: – Onde ele se encontra?

  • A graça é assim. A graça não procura feitos que mereçam amor. A graça opera em separado da resposta ou da capacidade do indivíduo. A graça é unilateral. Repito, é Deus se dando em plena aceitação de alguém que não a merece e jamais poderá adquiri-la e jamais poderá paga-la. É isto que torna a história de Davi e Mefibosete tão notável. Um rei forte e famoso se humilha e se dá para alguém que representa tudo o que Davi não era!

Davi pergunta simplesmente: “E onde está?”

“... Respondeu Ziba ao rei: Está na casa de Maquir, filho de Amiel, em Lo-Debar.” - 2 Samuel 9:4

O último termo geográfico é interessante. Lo em hebraico significa “não” e debar é um termo-raiz significando “pasto ou pastagem”. Este descendente de Jônatas está então num lugar incrivelmente desolado. Ele vive numa região obscura e árida da Palestina.

Desde que o costume era matar todos da dinastia anterior, tais indivíduos eram exterminados ou tinham que ficar ocultos o resto de suas vidas. Foi isto que Mefibosete fez. Ele se escondera e o único que conhecia o seu paradeiro era um antigo servo de Saul.

Davi não pergunta como este homem ficou aleijado dos dois pés, mas nós ficamos curiosos e descobrimos a resposta no capítulo 4. É uma história e tanto e acrescenta novos elementos ao lado comovente da situação. Vamos retroceder por alguns momentos:

“Jônatas filho de Saul, tinha um filho aleijado dos pés. Era este da idade de cinco anos quando as notícias de Saul e Jônatas chegaram de Jezreel. A sua ama o tomou, e fugiu, mas apressando-se ela a fugir, ele caiu, e ficou coxo. O seu nome era Mefibosete.” - 2 Samuel 4:4

Quando ouviu que Saul e Jônatas estavam mortos, a ama pegou o menino que estava aos seus cuidados e fugiu, para protegê-lo. Enquanto se apressava, provavelmente tropeçou e o menino caiu de seus braços. Em conseqüência da queda, ele ficara permanentemente aleijado e se escondera desde então, temendo por sua vida. A última coisa que queria era ver um emissário do rei bater em sua porta. Mas foi exatamente isso que aconteceu.

Pode imaginar o espanto do homem? Não sabemos a idade de Mefibosete, mas ele provavelmente tinha uma família a essa altura, pois mais tarde lemos que tinha um filho homem chamado Mica. Depois de responder à batida na porta, Mefibosete se defronta com os soldados do rei, que lhe dizem: – O rei quer vê-lo. – Ele provavelmente pensou: “Este é certamente o meu fim”.

Aqueles homens o levaram então para Jerusalém, à presença do rei. Esta é uma cena marcante da Bíblia!

“Vindo Mefibosete, filho de Jônatas, filho de Saul, a Davi, prostrou-se com o rosto em terra e se inclinou. Disse-lhe Davi: Mefibosete! Respondeu ele: Teu servo.” - 2 Samuel 9:6

Que momento deve ter sido aquele. O homem assustado deixa as muletas e cai diante do rei que tem todos os direitos, direitos soberanos, sobre a sua vida. O rei lhe pergunta: – Você é Mefibosete? – E ele responde: – Sim, sou Mefibosete. – Ele não tinha idéia do que esperar e certamente esperava o pior.

“Disse-lhe Davi: Não temas, pois de certo usarei de bondade contigo por amor de Jônatas, teu pai, e tu sempre comerás pão à minha mesa.” - 2 Samuel 9:7

Você pode imaginar como Mefibosete deve ter se sentido naquele momento? Esperando uma espada golpear suas costas, ele ouve essas palavras incríveis do rei Davi.

No livro, O Equilíbrio Vital, o Dr. Karl Menninger, fala sobre o que ele chama de “personalidade negativa”, o tipo de personalidade que a princípio diz “não” a tudo. “Esses são pacientes perturbados”, afirma Menninger. “Essas pessoas perturbadas jamais fizeram um empréstimo duvidoso, jamais votaram a favor de uma causa liberal, ou patrocinaram qualquer extravagância. Elas não podem permitir-se o prazer de dar”. Ele as descreve como “indivíduos rígidos, cronicamente infelizes, amargos, inseguros e muitas vezes suicidas”.

Para ilustrar, ele conta a história de Thomas Jefferson, que estava atravessando o país a cavalo com um grupo de companheiros quando chegaram a um rio caudaloso. Um caminhante esperou até que vários cavaleiros tivessem passado e depois chamou o Presidente Jefferson e lhe pediu para cruzar o rio na garupa de seu cavalo. Jefferson concordou e levou-o até a margem oposta. – Diga-me: – perguntou um dos homens – porque você escolheu o presidente para pedir esse favor? – O presidente? –respondeu o homem – Eu não sabia que ele era o presidente. Tudo o que sei é que em alguns dos rostos estava escrito a resposta “não” e em outros a resposta “sim”. O rosto dele era um rosto “sim”.

No livro “Despertar da Graça”, Charles R. Swindoll, diz que: “as pessoas que compreendem plenamente a graça, têm um rosto “sim”.

Quero sugerir que quando Mefibosete levantou os olhos, ele viu um “sim”, escrito no rosto de Davi. Você não gostaria de estar lá nesse momento esplêndido?

Davi olhou para ele e disse: – Oh, meu amigo, você vai ter um lugar de honra na minha família... vai comer regularmente na minha mesa. – E a coisa ainda melhora. Leia:

“Então, se inclinou e disse: Quem é teu servo, para teres olhado para um cão morto tal como eu? Chamou Davi a Ziba, servo de Saul, e lhe disse: Tudo o que pertencia a Saul e toda a sua casa dei ao filho de teu senhor. Trabalhar-lhe-ás, pois, a terra, tu, e teus filhos, e teus servos, e recolherás os frutos, para que a casa de teu senhor tenha pão que coma; porém Mefibosete, filho de teu senhor, comerá pão sempre à minha mesa. Tinha Ziba quinze filhos e vinte servos. Disse Ziba ao rei: Segundo tudo quanto meu senhor, o rei, manda a seu servo, assim o fará. Comeu, pois, Mefibosete à mesa de Davi, como um dos filhos do rei. Tinha Mefibosete um filho pequeno, cujo nome era Mica. Todos quantos moravam em casa de Ziba eram servos de Mefibosete. Morava Mefibosete em Jerusalém, porquanto comia sempre à mesa do rei. Ele era coxo de ambos os pés.” - 2 Samuel 9:8-13

Que relato fantástico da graça. Agora, sempre que o lermos, poderemos ver um rosto “sim”, por se tratar de uma demonstração do significado da graça.

Pense em como a vida deve ter sido nos anos futuros à mesa com Davi. A refeição está pronta e a sineta toca. Os membros da família e seus convidados vão chegando. Amnom, inteligente e espirituoso, é o primeiro a sentar-se. Depois vem Joabe, um dos convidados – musculoso, viril, atraente, com a pele bronzeada pelo sol, andando alto e ereto como um soldado experiente que é. A seguir chega Absalão. Como é belo! Desde o alto da cabeça até a sola dos pés não há um defeito nele. Vemos então Tamar, a linda e terna filha de Davi. Por último, poderíamos acrescentar Salomão. Ele ficou no escritório o dia inteiro, mas finalmente deixa o trabalho e comparece à mesa.

Ouve-se então um ruído surdo e aqui vem Mefibosete, apoiado em suas muletas. Ele dá sorriso sem graça, e humildemente, se junta aos outros e toma seu lugar à mesa como um dos filhos do rei. E a toalha da graça cobre os seus pés. Oh, que cena!

GRAÇA: COMPREENDENDO A SUA EXTENSÃO

Esse não é, porém, o fim da história. Essa história continua até hoje, refletida na vida de todos os filhos de Deus. Posso pensar em pelo menos oito analogias para indicar isso:

1. Em certa época Mefibosete gozou de comunhão ininterrupta com seu pai, o filho do rei Saul. O mesmo aconteceu com Adão, que andou com o Senhor no frescor da tarde e gozou de comunhão ininterrupta com seu Criador e Pai. Como Adão, Mefibosete soube um dia o que era estar em comunhão íntima com o rei.

2. Quando a tragédia ocorreu, a ama fugiu amedrontada e Mefibosete caiu. Isso o deixou aleijado pelo resto de seus dias. Da mesma forma, quando veio o pecado, Adão e Eva se esconderam com medo. A primeira reação da humanidade foi ocultar-se de Deus, encontrar razões para não estar com Deus. Como resultado, a humanidade tornou-se espiritualmente inválida e ficará assim para sempre enquanto estiver na terra.

3. O rei Davi, por amor de Jônatas, demonstrou graça ao seu filho aleijado. Deus também demonstra graça ao pecador crente por amor a seu Filho, Jesus Cristo, e o preço que ele pagou na cruz. Ele continua buscando pessoas espiritualmente deficientes, mortas por causa da depravação, perdidas em transgressões e pecados, escondidas de Deus, quebrantadas, medrosas e confusas. Estamos andando com Deus hoje porque ele demonstra a sua graça para nós por amor ao seu Filho.

4. Mefibosete não tinha nada, não merecia nada, não podia pagar nada... de fato, ele nem sequer tentou ganhar o favor do rei. Ocultou-se dele. O mesmo se aplica a nós. Não merecíamos nada, não tínhamos nada, e nada podíamos oferecer a Deus. Estávamos escondidos quando ele nos achou. Alguns de vocês podem lembrar-se de uma época em que estavam viciados em drogas, envolvidos numa vida fútil, passando de um conflito a outro, de uma experiência errada a outra, desperdiçando uma noite após outra, indo de um encontro sexual para outro, imaginando onde tudo isso ia acabar. Você não ofereceu nada a Deus. Não tinha nada que pudesse dar a Ele, nenhuma boa obra que pudesse revelar retidão autêntica. Todavia, o Rei fixou seu coração em você. Não é maravilhoso? Melhor ainda que isso – é graça. É isso que Deus nos oferece, demonstrando um amor e perdão que não podemos ganhar, merecer ou pagar. Isso é realmente graça. Ela remove todas as exigências e elimina a necessidade de justificativas quando Deus vem até nós e diz: – Você é meu. Aceito você como é, com muletas, problemas, defeitos e tudo.

5. Davi restaurou Mefibosete de um lugar árido a um lugar de honra. Ele tirou esse indivíduo quebrantado, deficiente, de um esconderijo onde não havia pastagem e o levou a um lugar de abundância, diretamente à sala da corte do rei. A analogia é clara. Deus nos tirou de onde estávamos e nos levou para onde ele está – a um lugar de comunhão com Ele. Ele nos restaurou ao que éramos antes, em Adão.

6. Davi adotou Mefibosete em sua família e ele se tornou um dos filhos do rei. É isto que Deus fez pelo pecador crente: nos adotou na família do Rei celestial. Ele nos escolheu, nos introduziu em sua família e disse: – Você vai sentar-se à minha mesa, vai comer da minha comida e Eu lhe dou a minha vida. – Todo cristão é adotado como membro da família de Deus.

7. O problema físico de Mefibosete era um lembrança constante da graça. Ele não tinha nada senão muletas, todavia, recebeu da abundância do rei. Cada vez que manquejava de um lugar para o outro, passo a passo, ele se lembrava: Estou nesta casa magnífica, gozando os prazeres desta posição por causa da graça do rei e nada mais. O mesmo acontece com o Pai. Nosso problema contínuo com o pecado é um lembrete da sua graça. Todas as vezes em que pensamos neste versículo: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar”, recordamos que a graça está à nossa disposição. É quando o Senhor cobre os nossos pés com a Sua toalha de mesa e diz: – Sente-se. Você é meu. Eu o escolhi simplesmente porque o queria.

8. Quando Mefibosete sentou-se à mesa do rei, ele foi tratado como qualquer outro filho do rei. É isso que acontece agora... e o que vai acontecer durante toda a eternidade, quando festejarmos com o Senhor. Você pode imaginar-se sentado à mesa com Paulo, Pedro e João... e talvez pedir a Tiago que passe as batatas? E conversar com Isaque, Spurgeon, e Martin Luther King, Calvino e Wycliff? Partir o pão com Abraão e Ester, Isaías e, sim, com o próprio rei Davi, acompanhado por Mefibosete? E o Senhor vai olhar para você e dirá com seu rosto “sim”: – Você é meu. Você é tão importante para mim quanto os meus outros filhos e filhas. Coma.

Só na eternidade poderemos expressar adequadamente o que esta verdade significa para nós – o fato de Ele nos ter escolhido em nossa condição pecaminosa e rebelde e nos tirar, pela graça, de um lugar árido e nos dar um lugar à Sua mesa. E, em amor, Ele permitiu que a Sua toalha de graça cobrisse o nosso pecado.

Possamos terminar esta mensagem com um sorriso. Uma face “sim” que diz: – Obrigado, Pai, por me achar quando eu não estava olhando... por me amar quando eu não era digno... por me tornar Seu quando eu não merecia.

Graça. Ela é realmente maravilhosa!

______________________________________________

Davi_Heróis da FéExtraído do Livro:

Davi - Um homem segundo o coração de Deus.

C. R. Swindoll – Mundo Cristão - 14/06/99

4 comentários:

pedropamplona disse...

E ainda dizem que somos capazes de resistir a tal graça...

Pastor Sergio, muito bom seu blog. Tenho um na mesma linha da reforma também. Se puder dar uma olhada...

http://pedropamplona.wordpress.com/

Estou sempre buscando parceiros. Se puder trocas os banners tbm...

Abraço!
Pedro Pamplona

Soli deo Gloria

Pastor Menga disse...

Fico feliz por sua visita ao SOBERANA GRAÇA, e seu comentário.

Gostei muito do seu Blog.

Deus te abençoe.

Pr. Menga

Jesus de Oliveira- Penápolis -Sp disse...

K maravilha !! Naveguei na Graça.. o amor de Deus nos leva a cada dia mais estar na sua presença. Que Deus continue levantando homens de Deus com tal sabedoria para que o seu povo viva mais e mais com a fé e esperança de um dia juntos na eternidade possamos viver junto do Mestre !!
Parabéns homem de Deus !!
Jesus A. Oliveira.

Sergio Menga disse...

Prezado irmão Jesus de Oliveira, graça e paz.

Obrigado pelo belo comentário.

Um forte abraço,
Pr. Menga