9 de fev de 2010

A Vitória de JESUS sobre a Morte e a Doença (Marcos 5:21-43)

tristeHá uma hemorragia crônica na humanidade – uma enfermidade sem chance nenhuma de cura pelos meios normais. Pode-se empreender todos os esforços, usar todos os meios e dispor de todos os bens, sem no entanto alcançar qualquer resultado ou qualquer solução, ou cura para esta enfermidade.

A razão pela qual qualquer esforço, por maior que seja será sem solução, é porque esta enfermidade não é na carne ou do corpo, mas do espírito que afeta tanto a alma como o corpo.

Neste episódio de Marcos 5:21-43, vemos o cuidado que o Senhor Jesus tem pelas pessoas que passam por problemas que estão acima das soluções humanas. Mas também, vemos como Jesus firma a fé dos envolvidos e, através do ensino e da prova, encoraja o seu crescimento.[1]

Nesta narrativa, vemos que Jesus não somente cuida destas pessoas em suas dores e isolamento, mas Ele também resolve estas “questões inexplicáveis” como parte de Sua terna misericórdia.[2]

5:21-24a - Após esta breve entrada no território gentio, Jesus retorna ao outro lado do Lago. Os Gerasenos tinham implorado que Jesus fosse embora, lembram-se? Não por causa da libertação do homem endemoniado, mas por causa dos porcos que se lançaram do penhasco. Mas do outro lado do lago, uma grande multidão o aguardava, sem dúvida nenhuma, pelo testemunho do gadareno liberto.
Em meio ao assedio da multidão, Ele é abordado desta vez por um homem chamado Jairo, que prostrando-se diante dEle, implora por sua filha que morria. “Por favor venha e imponha as mãos sobre ela e ela será curada e viverá.”

Jairo era o chefe da sinagoga, responsável pelos serviços religiosos no centro da cidade no Sabat, pela escola e pela Corte das Leis durante o restante da semana. A maioria dos líderes religiosos nunca procurariam a ajuda de Jesus, pois eles O rejeitavam como se fosse um impostor (3:6).
Mas Jairo implora publicamente pela intervenção de Jesus. Um pai intercede por sua filha que necessita de ajuda celestial. Por este humilde pedido, vemos que ele, evidentemente crê que Jesus tem o poder sobrenatural de Deus.

Jesus vai com Jairo, sem discriminá-lo pela atitude dos outros líderes religiosos. Jesus faz da maneira como Jairo disse: “vem e toca”.[3]

5:24b-34 – Uma grande multidão O seguia, empurrando-O, comprimindo-O, procurando em sua impaciência ver o que Jesus ia fazer. Ao longo do caminho, Jesus se volta, de repente, e pergunta: “Quem me tocou?” A questão traz uma resposta mal humorada dos discípulos. Afinal de contas há muitos cotovelos em uma grande multidão.

Jesus no entanto, continua olhando em volta para ver quem tocara em Suas vestes. Então vem uma mulher e se prostra diante dEle. Tremendo de medo, ela conta toda a sua história: “Durante doze anos sofrendo de uma doença feminina crônica, ela só piorava. Os recursos humanos de nada adiantaram e agora não havia mais dinheiro. No auge de seus problemas físicos, sua hemorragia a tornava impura, bem como tudo o que ela tocava.[4] Ela fora excluída da sinagoga e da comunidade”. “Se eu apenas tocar nas vestes de Jesus. Eu serei curada” (cf. 3:10) foi o pensamento que a moveu até Jesus no meio da multidão.

Quando a mulher O tocou, Jesus “imediatamente percebeu que dEle saíra poder” (dynamis) (v.30). Jesus tem o total controle de Seu poder. Seu poder dado por Deus é pessoal na fonte e pessoal na aplicação.

Após ouvirem a história daquela mulher, provavelmente a repugnância dos discípulos aumentou. Por que tudo isso só por causa de uma pobre mulher como esta? Ajudá-la não era como ajudar a Jairo. Ela era sozinha, era uma excluída. Jairo era um homem poderoso. Talvez ele influenciasse os líderes religiosos e revertesse a atitude deles quanto a Jesus.

Após doze anos, a mulher sem nome poderia ter esperado mais alguns minutos. Ela já foi curada, então porque Jesus não atende a filha de Jairo e fala com esta mulher mais tarde?
Mas Jesus não Se apressa. Esta é uma hora oportuna para ensinar à mulher e a toda multidão, e então Ele lhe diz: “Filha, tua fé te curou. Vá em paz e seja livre de seu sofrimento.” Ela não estava mais só, pois pertencia à família de Deus.[5] Pode ser que Jairo aprendesse que Jesus Se preocupa com outras “filhas” tanto quanto com sua própria filhinha.

Então, Jesus explica à mulher, como a sua cura (do Grego sozein) se deu: “foi pelo alcance de sua fé, mais do que o toque de sua mão”. Suas palavras contrariam a crença popular de que o poder curador é transmitido através do toque. Deus honrou sua fé, ainda que fosse imperfeita,[6] porque era fé em Jesus. Sua cura não foi automática nem impessoal, este é o segredo, porque foi o resultado da decisão do próprio Deus em resposta à sua fé. Além disso, ela também recebeu salvação espiritual, pois, como afirmam alguns estudiosos, o Novo Testamento caracteristicamente utiliza sozein de uma maneira distintiva, significando “aquilo que salva de tudo o que pode arruinar uma alma nesta vida, salvar do sofrimento de uma doença que traz perigo de destruição”.

Jesus dá a esta mulher muito mais do que ela buscava. Ao confirmar publicamente sua cura física, Ele a livra de seus temores ocultos e prepara o terreno para que seja aceita na comunidade. Ela chegou a pensar que não era ninguém; Jesus devolveu-lhe a dignidade. Ele a valoriza como pessoa enquanto a comunidade a rejeitou. Suportando a dor de revelar sua história publicamente, ela ganhou a liberdade de seus temores.

Tratando com as inseguranças básicas daquela mulher, Jesus não promete libertá-la de suas dificuldades (ao contrário de algumas pregações populares de hoje em dia). Como indica o shallom no Hebraico, “Vá em paz” significa, segurança e integridade mesmo em meio a conflitos. Tal paz flui de um relacionamento pessoal com Deus. Através da fé em Jesus ela inicia uma nova vida.[7]

5:35-43 – Espera-se que os discípulos estejam aprendendo da conversa de Jesus com a mulher. Jairo também, estaria se beneficiando pois as instruções de Jesus poderiam ajudá-lo a encarar seu teste mais difícil. Enquanto Jesus ainda está falando, alguns homens chegam da casa de Jairo dizendo, “Sua filha está morta. Porque continuar a incomodar o mestre?”

O que Jairo mais temia aconteceu. Sua filha amada está morta. Ele sabia que ela estava morrendo quando foi até Jesus, esperando que Ele pudesse chegar em tempo de curá-la. Agora, tudo estava perdido, pois a morte é o fim. Se Jesus não tivesse se demorado[8] para falar com aquela mulher sem importância...?

Quando o ressentimento começou a aparecer, Jesus interrompeu seus pensamentos, dizendo-lhe que ignorasse o que disseram os homens. Mas, como poderia ele ignorar a realidade da morte de sua filha?

“Não temas, crê somente” diz Jesus. Pois o atraso não O impediria de ajudar. Nem mesmo a morte deveria atrapalhar a confiança de Jairo na habilidade de Jesus em confrontar crises com o poder de Deus investido nEle. A fé de Jairo está sendo testada: ela crescerá à medida em que ele continuar a olhar para Jesus[9] cuja simples menção dispersa o medo.

Pedro, Tiago e João são escolhidos para continuar com Jesus. Aparentemente eles eram mais sensíveis àquilo que já haviam recebido e então lhes era dada à oportunidade de receberem mais.[10] Isto lhes proporcionava uma excelente oportunidade de conhecer quem é Jesus e de passar isto aos outros discípulos.

Jesus proíbe a multidão de acompanhá-lO. Já havia confusão suficiente ao redor da casa de Jairo. Seguindo o costume Palestino, o som da lamentação e do cântico, acompanhado de flautas e palmas, enchia o ar numa demonstração pública de luto. Ao perguntar-lhes a razão de toda aquela comoção (pois estavam lamentando como quem não tem esperanças,[11] Jesus afirma: “A criança não está morta, mas dorme”. Em resposta os carpidores riram de Jesus. Então Ele os colocou para fora também.

Os carpidores, os homens que informaram Jairo e mesmo os pais sabiam que a criança estava morta. Jesus diz que ela está apenas dormindo, pois ele faz um prognóstico teológico e não um diagnóstico médico. Muitos dizem que a morte é o fim. Eles a vêem como um período de tempo, enquanto que é somente um “coma”. Morte, portanto, não é permanente. Do ponto de vista de Deus, é um sono para o qual há um despertar. Mas Jesus promete mais do que isto. Ele quer dizer que “embora esteja morta, já, Ele vai levantá-la, e sua morte não terá sido mais permanente do que um sono.”

Assim como os profetas do Velho Testamento interpretavam os acontecimentos nacionais e internacionais teologicamente mais do que politicamente, Jesus interpreta o estado físico daquela menina sob o ponto de vista de Deus.

Cumprindo o que prometera, Jesus toma a criança pela mão e diz: “Talitha Koum!”[12] A garota levanta-se e caminha, pois fora curada imediatamente. Seu apetite é restaurado. Seus atônitos pais agora podem alimentá-la e cuidar dela. Jesus lhes diz: “não deixem que saibam disto” pois Ele também preocupava-se que a garota pudesse crescer numa vida normal, sem ser objeto de curiosidade.

Quem é Jesus, este homem que restaurou a vida a um morto? Este acontecimento memorável acrescenta dados a uma questão que permeia todo o Evangelho revelando Jesus como “O Senhor da vida”. O conhecimento de Jesus como O que Venceu a morte ainda teria que esperar até aquele dia quando a morte O “subjugasse”, pois somente através de Sua morte Ele poderia ser conhecido completamente.

O segredo do governo de Deus presente e ativo na pessoa de Jesus é revelado àqueles que “ouvem” ao mesmo tempo em que é retido naqueles “que estão do lado de fora”.[13] Para permanecer com esta ênfase, Jesus “dá ordens estritas, que eles não contasse aos outros o que acontecera”. Aqueles do lado de fora tinham rido de Jesus não querendo ouvi-lO. Sua identidade está escondida para eles. Se estes conhecessem quem Ele é, eles teriam exigido como direito (não como a graça misericordiosa de Deus) que Ele levantasse seus mortos antes do tempo determinado. A atual missão de Jesus seria frustrada, então Ele evita a armadilha de ser conhecido como um operador de milagres.

Nesse contexto, Jesus não ordena silêncio absoluto. Isto seria impossível. Antes, Ele quer que isto seja mantido o mais particular possível. Ao evitar publicidade desnecessária, Ele pode prosseguir em Seu ministério, ativamente trazendo salvação e paz a este mundo.

Nas narrativas de Marcos 4:35 a 5:43[14] , o grande poder do Reino de Deus é demonstrado na presente era, sob a compassiva autoridade de Jesus. Elas são visões proféticas do futuro que já está presente na pessoa de Jesus, dando ao crente a perspectiva daquele dia quando “a morte irá morrer”. Todos aqueles que estão em Cristo já experimentam os resultados da ressurreição de Jesus, embora não ainda em sua totalidade.


[1]Tanto a mulher doente como a família de Jairo poderiam ter feito a clássica pergunta: Por que eu Senhor? Como os discípulos na tempestade e o endemoninhado Geraseno, esta também seria uma pergunta razoável: Por que isto aconteceu conosco?
[2]Embora como pecadores não mereçamos nada melhor, é encorajador saber que Jesus pode lidar não somente com o pecado e suas conseqüências, mas também com os males que nós, comumente chamamos de não “merecidos”.
[3]Notem que Jesus varia seus métodos freqüentemente (p.ex. ele cura sem tocar, 7:24-30) pois a cura não depende do que Jesus faz mas de quem Ele é.
[4]cf. Lv 15:25-27
[5]cf.: Mc 3:35
[6]cf.: Mc 9:24
[7]Pela combinação de três termos importantes (fé, salvação e paz), esta história apresenta um retrato dramático do dom de Deus, a salvação através da fé em Jesus. O exemplo desta mulher deve nos fazer reexaminar a nossa fé em Jesus Cristo.
[8]cf.: Jo 11:21
Ver: [9]Hb 12:1-2
[10]cf.: 4:25
[11]cf. 1Ts 4:13
[12]Estas palavras de modo algum constituem uma fórmula mágica ou encantamento. Marcos sente que a riqueza das palavras de Jesus não caberiam numa tradução, então ele as cita no original ao invés de tentar dar-lhe um significado.
[13]4:11-12; 4:21-25
[14]Jesus acalma a tempestade; A libertação do endemoniado; A cura da mulher com hemorragia e a ressurreição da filha de Jairo.

_____________________________________________________
Creative Commons License
A Vitória de JESUS sobre a Morte e a Doença by Pr. Menga is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License. Permissions beyond the scope of this license may be available at http://smenga.blogspot.com/.

6 comentários:

Joelson Gomes disse...

Olá Pr, parabens pelo ótimo blog. Só agora soube que o senhor indica o GRAÇA PLENA aq, já está sendo indicado no meu blog tb. Deus bençoe sempre.

Joelson Gomes
http://gracaplena.blogspot.com

Pastor Menga disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pastor Menga disse...

Olá Pr. Joelson,
Obrigado.

Têm sido um grande prazer indicar o Graça Plena.

Um forte abraço.

Livia Donadon disse...

Olá pastor,
meu nome é Livia eu tenho um blog para ajudar meninas em tratamento com cancer de mama, eu fui curada de cancer apos a minha conversao.
Eu poderia postar este texto no blog, em baixo colocaria seu nome e endereço do seu blog.
Me responda.
obrigada
paz

Livia Donadon disse...

olá pastor meu nome é livia, eu tenho um blog aonde levo a palavra em meninas em tatamento. eu fui curada de um cancer de mama tbm , apos a minha conversao, eu gostaria de publicar no blog seu texto e depois especificaria que é seu e o endereço deste blog.
OBRIGADA.
Livia
paz

Pastor Menga disse...

Prezada irmã Lívia,
Graça e Paz.

Por favor, fique totalmente à vontade para utilizar o texto, "A Vitória de Jesus sobre a Morte e a Doença".
Espero que ele seja uma bênção na vidas de suas leitoras.


Um forte abraço,
Pr. Menga