19 de jul de 2010

O Discurso da Cruz

2503952618_ab1a0ea5c7
"Pela datação, profundidade e verdade, o texto nos leva a lugares celestiais."

Por causa disso Ele veio até nós; por causa disso, embora fosse incorpóreo, Ele formou para Si mesmo um corpo de acordo com nossa aparência. 

Aparentando ser um cordeiro, embora continuasse a ser o Pastor; considerado servo, ainda que não tivesse renunciado à Sua condição de Filho; sendo carregado no ventre de Maria, embora ainda estivesse na natureza do Pai; caminhando sobre a terra, mas ainda enchendo os céus; aparentando ser uma criança, sem descartar a eternidade de Sua natureza; sendo investido de um corpo, sem confinar a genuína simplicidade de Sua Trindade; sendo considerado pobre, sem ser destituído de Suas riquezas; necessitando de sustento porquanto Ele era homem, mas sem deixar de alimentar o mundo todo, uma vez que Ele é Deus; colocado em forma de um servo, sem debilitar a semelhança com o Pai. 

Ele sustentou cada traço que lhe pertencia numa natureza imutável; Ele estava diante de Pilatos, e ao mesmo tempo, estava sentado com Seu Pai; Ele foi pregado no madeiro, mas era Senhor de todas as coisas.

Texto escrito por Melito, bispo de Sardes, por volta de 160 d.C.
___________________________
Fonte: http://atravesdasescrituras.blogspot.com/2010/07/o-discurso-da-cruz.html

2 comentários:

Música, Ciência e Teologia disse...

Estou convencido que falta-nos uma dimensão mais vívida de quem é e qual é o ministério de Jesus Cristo.

Muitos problemas atuais da igreja seriam evitados se, simplesmente, olhássemos para Ele com Seus discípulos.

Até mais, Marcos.

Pastor Menga disse...

Concordo totalmente.

A impressão que tenho, é que estamos (igrejas locais), olhando pro vazio, como que perdidos em nossos devaneios e tentando acertar um alvo desfocado.

Devemos retroceder urgentemente e olhar somente para o Autor e Consumador da nossa fé.