25 de jan de 2010

O Novo Nascimento - João 3:1-15


Regeneração-2 
TEMA CENTRAL - O Novo Nascimento é o Caminho para Deus
PERGUNTAS CHAVES
Por que Nascer de Novo?
O que é Nascer de Novo?
Como Nascer de Novo?
A VERDADE DEVE SER DITA - Você sabia que sem a experiência do Novo Nascimento, NINGUÉM, verá a Deus?
DOUTRINA - Doutrina bíblica da REGENERAÇÃO
OBJETIVO DA MENSAGEM - Levar cada ouvinte a refletir sobre a sua Salvação:
2 Pe 1:10“Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum.”
Ef 4:1“Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados,”
2 Ts 1:11 - “Por isso, também não cessamos de orar por vós, para que o nosso Deus vos torne dignos da sua vocação e cumpra com poder todo propósito de bondade e obra de fé,”

SERMÃO
Você já experimentou o Novo Nascimento? Você tem certeza que Nasceu de Novo?
Quando foi isso? Você pode dizer que um dia, o fulano de tal estava pregando, então ele fez um apelo, eu fui à frente e aceitei Jesus como meu salvador! 
Se queremos entender corretamente o ensino bíblico da "REGENERAÇÃO“, expressões do tipo: "eu me converti"; "fulano de tal se converteu"; "eu aceitei Jesus"; "fulano de tal aceitou Jesus"; "aceitei Jesus como salvador", etc., que nada têm haver com a Doutrina bíblica da Regeneração em primeiro lugar, e nada tem haver com a Bíblia em segundo lugar, devem deixar o nosso vocabulário.
Dizer: "eu me converti", não prova que houve Novo Nascimento. O mesmo ocorre com "aceitar Jesus", porque nós é que somos aceitos por Ele. Portanto, isso não prova o nascer de novo.
Muitas pessoas afirmam ter "aceitado ou recebido Jesus como Salvador", mas não tem Jesus como Senhor, e vivem a vida sem frutos, sem mudança de caráter, sem mudança de atitudes, sem morrer para o mundo, sem nenhuma prova de ter nascido de novo.
O Novo Nascimento passa pela REGENERAÇÃO, que é um ato secreto de Deus pelo qual Ele, concede nova vida espiritual. É também chamado, às vezes, de "nascer de novo" (João 3:3-8).
A REGENERAÇÃO, portanto, é uma obra exclusiva de Deus.

Entendendo a REGENERAÇÃO

Para entendermos melhor este processo, imagine a construção de um prédio. O prédio só poderá ser levantado depois que as fundações forem feitas. Toda a qualidade da obra depende das fundações, e somente um engenheiro especializado é encarregado de analisar o tipo de solo e o tipo de fundação para aquele solo capaz de sustentar a construção que virá por cima.

De uns 50 anos para cá, o que temos visto, são os homens se esforçando para substituir Deus e Seu trabalho, utilizando fundamentos errados em solo errado. Ou seja, os ensinos e as pregações, passaram a ser centradas no homem, e não centradas em Deus. Deus tem sido colocado de lado, o ensino da Palavra de Deus foi substituído pela "engenhosidade" humana e, portanto, têm-se ensinado o homem a crer na sua capacidade de aceitar e abraçar o salvador.

No processo de REDENÇÃO, nós desempenhamos uma parte, e isto é verdadeiro no que diz respeito à CONVERSÃO (voltar-nos para Deus), SANTIFICAÇÃO (separar-nos do mundo) e PERSEVERANÇA (manter-nos firmes na fé).

Mas na obra da REGENERAÇÃO, não desempenhamos papel algum. Esta é exclusividade de Deus.
Vemos isso confirmado, quando João fala a respeito daqueles a quem Cristo deu poder de se tornarem filhos de Deus - eles "... não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus." (Jo 1:13). Aqui João deixa claro que os filhos de Deus são os que "nasceram [...] de Deus" e que nossa vontade humana ("a vontade do homem") não realisa esse tipo de nascimento.

O fato de que somos passivos na regeneração fica evidente quando as Escrituras referem-se a ela como "nascer" ou "nascer de novo" como vemos em:
Tg 1:18 - “Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas.”
1 Pe 1:3 - “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a essurreição de Jesus Cristo dentre os mortos,”
Ez 36:26,27 - “Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne. Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis.”
Da mesma forma que não escolhemos nascer - é algo que nos aconteceu; semelhantemente, nas Escrituras, temos essas analogias que nos deixam claro a nossa total passividade na REGENERAÇÃO.
Nascer de novo é a experiência que passa todo aquele em que Deus age soberanamente, por meio de Sua graça, trazendo vida onde só havia morte. Trazendo à luz aquele que estava em trevas, tornando possível ao coração, antes morto, antes como pedra, dar uma resposta positiva à Palavra de Deus.
Aqui ocorre o momento quando, diante da exposição da Palavra de Deus, a pessoa que foi alcançada pela graça soberana de Deus, passa a entender que a sua natureza é totalmente depravada diante de um Deus absolutamente santo.

Assim ela se vê indigna, pecadora, suja e totalmente dependente da misericórdia e do perdão de Deus. Ela então sente uma profunda necessidade de arrepender- se de seu estado de pecado e recebe a necessária fé para crer na única Pessoa capaz de liberta-la da escravidão do pecado e salvá-la da justiça de Deus que lhe pesava sobre a cabeça. Esta condenação que pesava sobre o homem, recaiu sobre o Senhor Jesus Cristo, o Salvador.

PERGUNTA:
Aceitar Jesus, como se costuma dizer, é levantar a mão, ir à frente da igreja, e chorar diante de pastores?

Muitas vezes motivados por um ambiente carregado de emocionalismo, ora por música envolvente, ora por milagres muitas vezes manipulados, ora por apelos que falam às necessidades das pessoas, como problemas financeiros e saúde?

Isso é o que temos visto nos últimos 50 anos. E isto, é o resultado da distorção da verdade. Isso é dar uma "forcinha" ao Espírito Santo que, de nada precisa para regenerar um coração.

O evangelicalismo moderno desenvolveu um território largo e notável, que abriga até aqueles cuja doutrina é suspeita. Mas o Evangelho que Jesus pregou não fomenta esse tipo de credulidade.
Desde o início de Seu ministério público, nosso Senhor evitou adesões rápidas, fáceis ou superficiais. Sua mensagem resultou em mais rejeição do que em aceitação entre os seus ouvintes, pois se recusava a proclamar palavras que dessem a qualquer pessoa uma falsa esperança.

Uma das características mais interessantes de Jesus era quando Ele expunha a autojustiça dos que O procuravam, ou trazia à luz as segundas intenções, ou quando alertava uma fé falsa ou um compromisso superficial. O encontro de Jesus com Nicodemos em João 3 é um exemplo disto.

Explicando os vs. 2e3
O que temos visto é isso (Emprestando as palavras do pastor John Piper): João 3:2 “Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.”

[“Eu vejo genuína atividade divina em Ti!”] - [“Eu honro a Sua miraculosa forma de trabalho!”]

O que Jesus NÃO disse, “Eu gostaria que todos na Palestina pudessem ver o que você viu!” Ao invés disso, o que Ele disse? “Se você não nascer de novo, não poderá ver o Reino de Deus.”

Isso é o que Eu ofereço a você! Mas reconhecer milagres, operações de milagres mesmo Eu sendo Jesus, NÃO é a chave para herdar a vida eterna.

Olhar para Jesus e dizer: “Opa ai sim... O Filho de Deus”. Eu vou além de Nicodemos, eu vou para a teologia satânica...! Você não entendeu ainda?

Nicodemos veio a Ele e disse: “Nós sabemos que és Tu, Filho do Deus Altíssimo.”
Até os demônios creem que Jesus é o Filho do Deus Altíssimo, e mesmo assim não são salvos. Eles sabem que Ele opera milagres, e que cedo ou tarde eles terão que enfrenta-Lo. “O que nós faremos? Ele está aqui antes dos tempos, libertando pessoas que nós tornamos cativas” e mesmo assim não são salvos, eles sabem de tudo, mas não são salvos.

Meramente reconhecer que Jesus é um operador de milagres, não fará de você um salvo, assim como os demônios não o são. Você não precisa ver milagres, para reconhecê-Lo como o Filho de Deus! Isso não salva ninguém. Esse tem sido o ensino de demônios.

Esse tem sido o ensino dos homens. Essa tem sido a ferramenta dos homens que supostamente pregam a Palavra de Deus. Apresentar Jesus como operador de milagres, oferecer curas, libertações, soluções de problemas, casamentos restaurados, famílias restauradas, finanças restauradas, e dizer para vir à frente, entregar seu coração pra Jesus, recitar umas palavras “mágicas” e dizer a Deus para escrever seu nome no livro da vida,

NÃO FARÁ VOCÊ NASCER DE NOVO. ISSO TUDO, NÃO DÁ A VOCÊ A GARANTIA DA VIDA ETERNA. NÃÃÃÃOOOO.

Nicodemos dirigiu-se a Jesus como “Rabi”, um título respeitoso que significa: “meu grande (mestre). Mesmo sendo mais velho que Jesus cerca de 40 anos, e como conselheiro, era digno de grande consideração. No entanto, foi ele que se dirigiu a Jesus com deferência, “Rabi,... ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.” Mesmo assim, Jesus simplesmente disse: “Em verdade, em verdade te digo...”

Essa expressão significa, “Posso assegurar-lhe esta verdade”, e qual verdade? “Ninguém pode ver o Reino de Deus, a não ser que tenha nascido de novo.”

Este não era o comentário que Nicodemos esperava ouvir. Por que Jesus não demonstrou estar satisfeito com o fato de Nicodemos reconhecer os ensinamentos e milagres que fizera. O que estava acontecendo ali era que o Senhor Jesus conhecia o coração e as intenções de Nicodemos. Ele (Jesus) não se deixou levar pelas palavras “aduladoras”, mas o que fez, na verdade, foi expor a fragilidade das intenções de Nicodemos.

Percebam como este acontecimento tem início no relato de João, nos versos 23 a 25 do capítulo anterior: “Estando ele em Jerusalém, durante a Festa da Páscoa, muitos, vendo os sinais que ele fazia, creram no seu nome; mas o próprio Jesus não se confiava a eles, porque os conhecia a todos. E não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem, porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana.”

Porém, se Jesus tivesse dado a entender que estava satisfeito em ouvir que Sua obra era reconhecida, Nicodemos o teria compreendido apenas com a mente e não com o coração, o qual ainda pulsava em trevas espirituais. Portanto, Jesus ensinou-lhe acerca de dois assuntos importantes: o reino de Deus e o novo nascimento.

O Reino de Deus diz respeito aos princípios administrativos de Deus na terra. Como um conselheiro no Sinédrio, Nicodemos certamente sabia como o governo devia agir e aplicar as leis em Israel. Mesmo assim, ele não sabia como aplicar os princípios espirituais de Deus na vida diária. E para fazer isso, ele precisava de um coração concebido no céu e nascido na terra. Jesus simplesmente disse a Nicodemos: “Você precisa nascer de novo, ou seja, seu nascimento espiritual deve vir do céu.”

O que você e qualquer pessoa precisa, é do agir miraculoso, misterioso, secreto, absoluto e soberano de Deus para que o milagre do Novo Nascimento aconteça em você.
Vou dizer algo aqui, que talvez o deixe espantado ou até irado comigo. Não é uma frase de efeito, nem tenho a intenção de querer chamar a sua atenção para a pregação. Mesmo porque, se a Palavra de Deus não chamar a sua atenção, eu posso plantar bananeiras aqui e mesmo assim, nenhum efeito haverá na sua vida, que valha para a eternidade.

O que eu quero dizer é que: Nem todo aquele que se diz crente o é realmente. Nem todo o que se diz evangélico, o é realmente. Incrédulos fazem falsas profissões de fé em Cristo todo dia. E muitos, acreditam “piamente” que são salvos e que estão indo para o céu, quando na verdade estão indo para o inferno.

Essas palavras são do Senhor Jesus Cristo - “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus,... nunca vos conheci.” - Mateus 7:21-24.

Esse é o resultado do barateamento da graça e da fé fácil em um evangelho distorcido, que está arruinando a pureza da Igreja. O abrandamento da mensagem do Novo Testamento e o desprezo pelo valor do Antigo Testamento trouxe um inclusivismo podre, que vê qualquer tipo de resposta positiva a Jesus como garantia de salvação.

Vou lhes dizer uma coisa, talvez você ache incrível, e talvez você dirá: Mas o que está errado nisso?
O fato é que hoje, as portas da frente das igrejas estão escancaradas, e as portas de trás, trancadas.
Ora pastor, você dirá, não é assim que deve ser? Não é isso que deve acontecer? As portas da igreja devem estar abertas para todos sem distinção, sem preconceito, sem restrição, sem causar nenhuma dificuldade?”

O discurso hoje (politicamente correto) é: “Deus não faz acepção de pessoas”, por isso hoje, temos igrejas para todos os gostos e necessidades. Temos igrejas para negros, para gays, só para mulheres e só para homens, para os revoltados, para os inconformados, para os abusados, para pobres, para ricos, para excluídos! A igreja hoje é de todo tipo para todos os tipos de pessoas!

As igrejas hoje, estão cheias de pessoas que pensam ser salvas. Mas a triste realidade, é que temos muitas pessoas nas igrejas que apenas responderam ao apelo de seus corações. As igrejas estão abarrotadas de pessoas em busca de solução de problemas, de respostas às suas necessidades básicas, mas não estão atrás de se submeterem ao Reino de Deus.

O que significa dizer: “Terem na vida, atitudes, pensamentos e propósitos moldados pelos princípios de Deus”. Agem como se o mundo e suas vidas a elas pertencessem! Como se fossem donas dela, e vivem suas vidas sem se preocupar em prestar contas a Deus por tudo. Vivem sem se preocupar em moldar suas palavras, pensamentos e atitudes ao padrão de Deus, pois estão satisfeitas ao padrão do mundo.

E o Senhor Jesus afirma a Nicodemos, que a única maneira de estar enquadrado ao Reino de Deus, ao padrão de Deus, é por meio do Novo Nascimento.

Explicando os vs.7a10
“Não te admires de eu te dizer: Importa-vos nascer de novo” - João 3:7

Disse o Senhor Jesus para Nicodemos quando ele manifestou surpresa ao Senhor dizer que ele deveria Nascer de Novo.

Nicodemos vinha de uma vida de religiosidade morta, cheia de regras e leis que eles mesmos prescreviam, por achar que a salvação prometida por Deus, era conquistada por esforço próprio. E quando Jesus disse que para ser salvo, ele têm que passar pelo Novo Nascimento, Jesus estava exigindo que Nicodemos desistisse, abrisse mão, de tudo o que ele representava como fariseu, e Nicodemos sabia disso. Não era, de modo nenhum, uma conversão fácil.

Pois, ao convocá-lo ao renascimento espiritual, Jesus queria que ele, reconhecesse a sua própria insuficiência espiritual e fazê-lo dar as costas a tudo aquilo a que se entregara até então.

A próxima pergunta que Nicodemos faz, demonstra o alvoroço em que estava o seu coração: “Como pode suceder isto?” - Jo 3:9

Nesta conversa que Jesus tem com o fariseu e doutor da lei, Jesus acaba estabelecendo um ponto doutrinário muito importante, que é o fato que o V.T. ensina abertamente o caminho da Salvação.

Retornando rapidamente ao verso 5, Jesus havia dito a Nicodemos, que para entrar no Reino de Deus, era necessário nascer da água e do Espírito, fazendo uma referência ao que o Senhor Deus havia dito pelo profeta Ezequiel, e Nicodemos sabia disso. Ezequiel 36:25 - “Então, aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei.”

Jesus não se referia à água (H2O), mas ao símbolo de purificação, como ensinado no A.T. Nicodemos como conhecedor da lei, saberia dessa passagem. E Jesus, como aquele que vem para cumprir tudo o que estava escrito no V.T. (Mt 5:17), mostrava para Nicodemos que nada mudou, que a salvação antes proposta é a mesma agora, com a diferença que Ele (Jesus), é o meio pelo qual entramos no Reino de Deus.

Como isso acontece? “Como pode suceder isso? (v.9), através do lavar purificador da água do Espírito Santo, pela confissão de pecados. Pelo arrependimento de pecados, como está em Isaías 1:16-18 - “Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal. Aprendei a fazer o bem; atendei à justiça, repreendei ao opressor; defendei o direito do órfão, pleiteai a causa das viúvas. Vinde, pois, e arrazoemos, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã.”

“Como pode suceder isso?”, somente por meio do arrependimento de pecados, e pela fé em Jesus, que assumiu toda a nossa culpa diante de Deus, levando sobre Si toda a maldição da Lei de Deus e toda a justa condenação do Justo Juiz, sobre o madeiro.

Esse é o Evangelho, a Boa Nova de Salvação. É para nós hoje, não deixe passar essa oportunidade.
Não importa se você é “velho de igreja”. Não importa se você achava que era salvo porque um dia respondeu à um apelo e recitou uma oração, que eu fiz e muitos fizeram.

A REGENERAÇÃO é a operação feita só por Deus, e nos leva a uma conversão radical.

Soli Deo Gloria
___________________________________________________________________
- Sermão pregado dia 24/01/2010 – Material de consulta: “O Evangelho segundo Jesus” – John MacArthur – Editora Fiel; “Teologia Sistemática” - Wayne Grudem – Vida Nova

Creative Commons License
O Novo Nascimento by Sergio Luiz Menga is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License. Permissions beyond the scope of this license may be available at http://smenga.blogspot.com/.

Um comentário:

Amarildo frança belo disse...

obrigado pela edificação. abçs