8 de nov de 2009

JESUS MORREU EM VÃO?

2518669635_5a22fb69b9“Deus prometeu ao Seu Filho que Ele não morreria em vão”. (frase de C.H.Spurgeon) – Isaías 53:11

Como poderia ser em vão o sacrifício de nosso Senhor? Vejamos as possibilidades:

1. Se Ele morresse na cruz, sem causa;
2. Se a Sua morte não fosse suficientemente eficaz em seu propósito;
3. Se as almas não forem alcançadas pela mensagem da cruz.

Isto é tão sério, que estas três condições precisam ser totalmente satisfeitas a fim de que a morte de Cristo Jesus não seja em vão.
Se, tão somente uma dessas condições não fosse satisfeita, todo o resto se perderia. E para que cada uma dessas condições fosse totalmente satisfeita, três agentes foram encarregados, por Deus, para o cumprimento de cada uma delas. Vamos ver?

1ª Condição: “SE CRISTO MORRESSE NA CRUZ SEM CAUSA!”
Alguém já se perguntou, “Por que Jesus teve que morrer na cruz?” Ora, essa pergunta até parece ser sem sentido, uma vez que a resposta a ela é o fundamente de nossa fé.
“Jesus morreu na cruz para salvar os pecadores. Pecadores esses, condenados a passarem a eternidade no inferno.” Certo? Não seria essa a resposta? Sim, mas em parte! Ela não é a resposta completa! A resposta completa está no agente encarregado do cumprimento total dessa primeira condição, que é o próprio Deus Todo poderoso, soberano e absolutamente Santo.

Vejamos: nosso Senhor Jesus Cristo, morreu na cruz, para quê? Por que razão? Por qual causa? RESPOSTA: Jesus Cristo morreu na cruz a fim de satisfazer as exigências da Lei de Deus, no lugar de pecadores indignos, maus, cruéis, inimigos de Deus, condenados à morte eterna e totalmente incapazes de se salvarem. Certo? – Certo.

Mas, “condenados por Deus”. O próprio Deus se encarregou que houvessem pecadores indignos para serem salvos por Jesus.
Parece estranho isso, mas pense no seguinte: Imaginem que se Deus quisesse, Ele teria providenciado salvação a toda humanidade sem exceção, em Adão. Se quisesse, Ele nem teria permitido que o mal existisse. Se quisesse, Ele teria destruído tudo o que fez, logo no início.
MAS NÃO O FEZ – O QUE FEZ ENTÃO?

Escutem com muita atenção, pois estamos entrando em terreno santo agora! O QUE ELE FEZ? Ele crucificou a Cristo antes de todas as coisas (Apocalipse 13:8). No texto, quando diz: “...morto desde a fundação do mundo.” A palavra “desde”, no grego, apo’ significa: desde a origem de uma causa. O que significa que Cristo foi morto pelos pecadores, ainda no coração de Deus, quando do Seu propósito de criar todas as coisas. (Atos 2:23; 4:27,28; Efésios 1:4)

2ª Condição: “SE A SUA MORTE NÃO FOSSE SUFICIENTEMENTE EFICAZ EM SEU PROPÓSITO!”
E qual é era esse propósito? Ora, parece que essa questão, já é suficientemente estabelecida e fundamentada na nossa vida. Todo mundo sabe, ao menos, nas igrejas, qual o propósito da morte de Cristo. Todo mundo sabe que Jesus Cristo, o Filho unigênito de Deus, morreu na cruz com o propósito de substituir e salvar, pecadores condenados à morte. Certo? Sim, em parte! A resposta completa seria que Cristo deu a Sua vida no lugar de todos aqueles que Deus o deu (João 17:9), a fim de salvar-nos da Ira de Deus. A Bíblia nos diz que Jesus, o Filho, a quem Deus ressuscitou dos mortos, é quem nos livra da ira futura (I Tessalonicenses 1:10).

Mas, que ira é essa e qual o seu motivo? Trata-se da ira de Deus contra o pecador que não se arrepende. Como está escrito: “Porque vocês podem estar certos disto: nenhum imoral ou impuro, ou ganancioso, que é idólatra, tem herança no Reino de Cristo e de Deus. Ninguém os engane com palavras tolas, pois é por causa dessas coisas que a ira de Deus vem sobre os que vivem na desobediência” – Efésios 5:5-6.

Talvez você pense: Deus é tão bom que não teria esse tipo de sentimento contra alguém.
Mas, Deus é santo e o pecado significa um ato de rebelião moral contra Ele. E em nenhum lugar da Bíblia Deus se compromete a ter misericórdia de um pecador que não se arrepende.

Vale aqui, ainda, uma pergunta mais: Quem são esses pecadores condenados à morte? – Resposta: EU, VOCÊ e TODA a HUMANIDADE.
Bem, vimos até aqui qual o propósito da morte de Cristo. Resta saber se ela é EFICAZ. Em Hebreus 9:27,28 e 10:9,10.
E para o cumprimento total dessa condição, o Agente encarregado a fim que se cumprisse completamente essa condição, é o Salvador e Senhor Jesus Cristo, o Cordeiro imaculado, por quem todas as coisas foram criadas.

· “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.” – João 1:29
· “A vida estava n’Ele, e a vida era a luz dos homens.” – João 1:4
· “...Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” – João 10:10
Mas para obtermos essa vida abundante, era necessário que Cristo morresse – João 15:17,18.

O Senhor Jesus Cristo é o único agente encarregado do cumprimento total, da 2ª condição. Só Ele era e é o homem sem pecado, capaz de satisfazer a Lei condenatória de Deus, o Justo Juiz.

· “E não há salvação em nenhum outro; porque debaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.” – Atos 4:12

Ele morreu para termos a Sua vida e ressuscitou para termos uma nova esperança!
Daí vem a 3ª Condição para que o sacrifício de Cristo não fosse em vão – “SE AS ALMAS NÃO FOREM ALCANÇADAS PELA MENSAGEM DA CRUZ.”
 
Como vimos até aqui, para o cumprimento da 1ª condição, o agente é o próprio Deus. Um Deus absolutamente santo e justo. Para o cumprimento da 2ª condição, o agente é Jesus Cristo, o Filho de Deus, a segunda pessoa da trindade, aquele que assumiu a natureza humana, completamente homem e completamente Deus.

Então, resta agora saber quem é o agente encarregado de cumprir totalmente a 3ª e última condição para que o sacrifício de Cristo não fosse em vão. Quem é esse agente?
O Senhor Jesus pouco antes de partir disse aos Seus discípulos que: “... o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.” – João 14:26.

Vejam que o Espírito Santo nos foi enviado por Deus, no nome de Jesus, para que Ele nos ensinasse tudo o que deveríamos falar. Certo? Mas falar o quê? O que Ele nos ensinaria?
A resposta está em Atos 1:8, nas palavras do Senhor Jesus: “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.”
 
Então a resposta é que Ele nos ensinaria a “testemunhar” a Cristo, para todas as pessoas. Mas ainda uma pergunta! O Espírito Santo ensinaria a todos ou somente uma classe especial de pessoas?

Temos aqui uma parceria, invencível: O Espírito Santo está agindo soberanamente na transformação do coração do homem, tornando-o propício para crer na Palavra de salvação. O Espírito Santo está por trás, sem dúvida, da proclamação do Evangelho, mas o Evangelho precisa ser proclamado, anunciado, testemunhado e comunicado. E Deus, em Sua sabedoria, estabeleceu agentes específicos para isso, que não são os anjos, e nem as pedras, para proclamarem a mensagem de salvação. Não são doutores da lei, professores, catedráticos. Não são apóstolos ou profetas.

Estes agentes para o cumprimento total da terceira condição, para que a morte de Cristo não fosse em vão, somos EU e VOCÊ. São todos aqueles que foram lavados no sangue precioso do Cordeiro. Nós o povo de Deus. Somos todos nós, raça eleita, sacerdócio real e nação santa, “embaixadores de Cristo”, a fim de proclamarmos as virtudes de Cristo (1Pe 2:9). Somos todos, e cada um de nós – Isaías 61; Romanos 10:12-15; 1 Coríntios 9:16.

Já se perguntou por que você está aqui? Por que foi salvo em Cristo? Você dirá: “Para a glória de Deus”! Certo, mas como você acha que Deus será glorificado? Ele é glorificado na medida em que O obedeçamos, fazendo a Sua vontade. E a Sua vontade é salvar o perdido, por meio de Cristo, pela pregação pura e simples da Sua Palavra (Hebreus 10:5-10).

2 comentários:

Jota disse...

Louco o bagulho eihm! Sério louco de mais

Joelson Gomes disse...

Pr. Luis obg pela visita ao GRAÇA PLENA, parabens pelo seu blog, e volte sempre.

Deus o abençoe,
Joelson Gomes